E-commerce: A grande aposta para pequenos e médios negócios

A criação do comércio digital, ou e-commerce, para pequenos e médios negócios é a grande aposta neste momento. Quer descobrir o por quê? Continue lendo este artigo!

Desde o início da pandemia, o e-commerce foi impactado de uma forma muito intensa e positiva. Segundo a Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o capital online faturado nos primeiros 8 meses de 2020 foi 56,8% maior que no mesmo período do ano anterior. O motivo? Tanto pelo aumento de consumidores, quanto pelo alto número de lojistas investindo na modalidade.

Em uma pesquisa feita pela Social Miner em parceria com a Opinion Box, 52% dos consumidores planejam continuar comprando mais online do que em lojas físicas até o fim de 2021. 

Já para os empreendedores, a pandemia acelerou o processo de digitalização, afinal, com as lojas físicas fechadas, o lojista precisou se reinventar para manter o ritmo de vendas mesmo na pandemia. Segundo a última pesquisa feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) sobre o impacto da Covid, 70% dos micro e pequenos negócios passaram a utilizar a internet para potencializar suas vendas, com 23% deles optando por criar um site próprio para vendas on-line.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), os segmentos que representam a maior fatia nas vendas totais foram informática, livraria e papelaria e móveis e eletrodomésticos:

O que tudo isso indica?

A pandemia, apesar dos efeitos negativos, têm acelerado cada vez mais para a movimentação das lojas online, já que os consumidores estão passando mais tempo na internet e dando preferência às compras online. Com a segunda onda do vírus vindo com força, é indispensável desenvolver as lojas virtuais, principalmente para os pequenos e médios negócios que foram os mais afetados com os decretos de lockdown que forçaram o fechamento de todo tipo de comércio presencial que não fosse essencial.

Um dos motivos pelo qual o e-commerce é a grande aposta para pequenos e médios negócios é a possibilidade de poder vender os mesmos produtos da loja física, porém, quem comanda o processo de compra é o usuário. A possibilidade de realizar compras online pode otimizar o tempo e facilitar o processo de compra, além de ser muito vantajoso para o lojista, que pode quebrar as barreiras da distância, atingindo um público maior, criando mais oportunidades e realizando mais vendas.

Além disso, engana-se quem pensa que a criação de lojas virtuais é algo do momento. Antes mesmo do coronavírus, a modalidade já estava em ascensão, a pandemia apenas acelerou o processo, pois a Internet se tornou a única alternativa para a maior parte do varejo brasileiro e mundial, mas ainda há muito espaço para o setor crescer. Veja algumas vantagens de ter a sua plataforma de e-commerce:

  1. Produtos disponíveis 24/7
  2. Alcance de novos públicos e visibilidade
  3. Redução de custo do varejo
  4. Comunicação direcionada em torno das vendas
  5. Personalização da experiência de compra
  6. Exploração de novas oportunidades de negócios
  7. Eliminação das barreiras de localização e tempo;
  8. Automatização do sistema de vendas;
  9. Facilidade na transmissão de informações sobre produtos e marca;
  10. Facilidade de acesso aos produtos.

Uma pesquisa feita pelo Google mostrou que as vendas online irão dobrar em cinco anos, chegando a R$ 85 bilhões e, em 2021, o crescimento do setor será, em média, 12,4% ao ano. Esses números mostram que o futuro do e-commerce é estável e o futuro do varejo é o digital.

Novas oportunidades e espaços para negócios estão sendo criados e garantir que o seu negócio encontre um espaço virtual é uma necessidade que veio com a pandemia, mas, com os novos hábitos de consumo, será essencial no pós-covid.

Gostou deste conteúdo? Temos outros artigos em nosso blog que podem te interessar:

Postado por

Especializada em desenvolvimento para internet e assessoria de marketing digital, links patrocinados e inbound marketing.

Deixe uma resposta